Como nasceu o Exterminador do Futuro, e como ele se tornou uma franquia bilionária e um ícone da cultura pop

by Ana Maria Bahiana July 4, 2015

Agora que o quinto filme do Exterminador do Futuro chega aos cinemas do mundo todo, quem poderia imaginar que o início modesto da franquia bilionária e seu surpreendente sucesso lá pelos idos de 1984?

A jornada extraordinária do Exterminador do Futuro começou com um pesadelo em 1981 – um pesadelo mesmo, que despertou James Cameron no meio da noite, com uma imagem cravada em sua mente: a de um esqueleto de metal, sem pernas, arrastando-se pelo chão. Cameron era então um aprendiz de realizador, vindo do Canadá para trabalhar na usina de filmes B de Roger Corman, onde ele tinha progredido do departamento de maquetes até o posto de diretor, com Piranhas II- Assassinas Voadoras.

A imagem rapidamente se tornou um conceito, um argumento e, pouco tempo depois, um roteiro completo. Gale Ann Hurd, uma ex-assistente de Roger Corman que estava começando uma carreira como produtora, se ofereceu para comprar a obra por um dólar, com uma promessa: Cameron seria o autor da versão final do roteiro e iria dirigir o filme. Depois de uma jornada tortuosa envolvendo praticamente todas as principais figuras da cena independente dos anos 1980, o projeto finalmente consegui um modesto financiamento de 4 milhões de dólares, e uma pequena multidão de candidatos ao papel do super-andróide enviado do futuro para matar Sarah Connor, a mãe do futuro salvador da humandidade. Entre os candidatos estavam O. J. Simpson e o ator Lance Enriksen, amigo de Cameron.

Arnold Schwarzenegger, que começava a deslanchar uma carreira como ator depois de anos como campeão de fisiculturismo (e tinha um título de sucesso no currículo, Conan O Bárbaro) apresentou-se para o teste do papel de Kyle Reese, o guerreiro vindo do futuro para proteger Sarah Connor. Cameron passou o teste desenhando o rosto e o corpo de Scharzenegger, e chegou a uma conclusão: ele não era Reese, era um perfeito Exterminador.

Depois de alguns começos que não foram adiante e mais algumas confusões, O Exterminador do Futuro começou a ser filmado em Los Angeles em março de 1984. Em outubro, com parca promoção – nada de junkets e apenas uma cabine para a imprensa- O Exterminador do Futuro estreou em 1,005 cinemas nos Estados Unidos e Canadá… e foi direto para o primeiro lugar na bilheteria, com 4 milhões de dólares em ingressos vendidos logo no primeiro final de semana. “Nós éramos a força de trabalho, nós é que fizemos tudo acontecer”, Schwarzenegger nos disse oito anos depois, quando o segundo filme da franquia estava prestes a dominar o mundo. “Nós tornamos o filme possível , colocamos o filme na tela através do roteiro e da direção de Jim e nosso trabalho como atores.”

O processo seria praticamente o mesmo para O Exterminador do Futuro 2- Julgamento Final. Apesar do sucesso espetacular de O Exteminador do Futuro na bilheteria – mais de 78 milhões de dólares no mundo todo, um valor enorme para a época – do número de fãs e do status entre a crítica como um dos filmes mais importantes dos anos 80, e apesar de Schwarzenegger ser, a essa altura, um astro internacional e James Cameron, um diretor de sucesso com O Segredo do Abismo e Aliens, os estúdios não demonstraram grande interesse em continuar a franquia. “Todos os estúdios de Hollywood tiveram esse tempo todo para fazer este filme”, Cameron nos disse em 1991. “Eles tem o dinheiro. Eles tem a capacidade. E nenhum deles se mexeu.”

No final foi o chefão indie Mario Kassar que bancou a empreitada, produzindo aquele que seria o mais rentável título da franquia, com mais de 720 milhões de dólares na bilheteria mundial. Com um novo Exterminandor – o ágil e ainda mais mortífero T-1000 (Robert Patrick) – determinado a matar o adolescente John Connor, futuro herói na luta contra os andróides, e o antiquado Exterminador de Schwarzenegger passando para o outro lado e redimindo-se. “A primeira reação de Arnold foi querer fazer os dois Exterminadores, o bom e o mau, porque, como ator, seria divertido”, James Cameron nos disse. “Mas aí eu expliquei para ele que ele teria que passar o dobro do tempo na maquiagem… A conversa terminou na hora.”

Cameron e Schwarzenegger se distanciariam dos filmes seguintes da franquia. Cameron manteria apenas seu crédito como roteirista “criador dos personagens” tanto em O Exterminador do Futuro 3- A Rebelião das Máquinas, de 2003 e O Exterminador do Futuro- A Salvação, de 2009. Schwarzenegger ainda voltou como um incrementado Exterminador Modelo 850 em A Rebelião das Máquinas – “acho que todo mundo se sente frustrado em suas vidas e imagina como seria ser um robô assim que pode tudo… as pessoas vivem essa fantasia”, Schwarzenegger nos contou na época. Em Salvação seu rosto foi aplicado digitalmente sobre o corpo do fisiculturista Roland Kickinger, e a trama ficou focada no John Connor adulto, vivido por Christian Bale.

O Exterminador do Futuro- Gênesis é um reboot, uma nova versão da história de origem da mitologia estabelecida há três décadas. E, tal qual ele prometeu em sua frase icônica, Schwarzenegger está mesmo de volta. “É uma história diferente”, ele nos contou. “É uma grande experiência e uma história fantástica e não foi nada difícil voltar ao personagem. Está profundamente marcado dentro de mim.”

Ana Maria Bahiana